Imagem de fundo

Bebês recebem banho de ofurô no Hospital Santa Cruz

14/07/2017

O banho de ofurô é o novo IMG_8571método de relaxamento que vem sendo adotado junto aos bebês internados na Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) do Hospital Santa Cruz. A Tummy bath, técnica desenvolvida na Holanda em 1997, transmite aos recém-nascidos e lactentes até os seis meses de idade a mesma sensação do útero materno, tornando o banho um momento prazeroso, de relaxamento e analgesia, amenizando o choro, a agitação, a insônia e as cólicas.

A prática é feita somente com bebês em situação estável, na unidade, e é indicada principalmente para aqueles que apresentam irritação ou estão com muito tempo de hospitalização. “Bebês que nascem antes do tempo previsto, os chamados prematuros, têm geralmente algumas condições especiais por passarem por punções, coleta de exames e outros procedimentos que acabam os deixando estressados”, explica a enfermeira da UCI Adriana Luiza Bulegon Pradebon.

De acordo com especialistas, o banho contribui para o ganho de peso, para o desenvolvimento cognitivo e para o desenvolvimento como um todo. “Não existem ainda pesquisas que comprovem todos os benefícios, mas na prática observa-se uma boa resposta ao banho de ofurô, tornando os bebês mais tranquilos e seguros”, afirma Adriana.

Para que o banho tenha suas propriedades terapêuticas, a técnica deve ser orientada de forma correta. O bebê deve ser encaixado no fundo, como se estivesse sentado, para dar apoio e transmitir segurança. A temperatura deve estar entre 36ºC e 37ºC e, como a área de superfície da água é bem reduzida, não esfria tão rapidamente, podendo o banho ser mais longo. A água deve estar, no máximo, até os ombros. “É muito importante nunca deixar o bebê flutuar na água”, orienta a enfermeira.

Para a realização da sessão, o ambiente da unidade é cuidadosamente preparado, minimizando ruídos e, ao mesmo tempo, utilizando a musicoterapia para auxiliar o bebê a relaxar. Conforme Adriana, o cuidado neonatal tem evoluído constantemente na busca de novas técnicas e metodologias e no desenvolvimento das atividades diárias nos pacientes. “O HSC tem incentivado o desenvolvimento destas técnicas com o objetivo de aprimorar o plano tera­pêutico do cuidado integral, visando ao bem-estar e ao neurodesenvolvimento adequado dos pequenos bebês”, salienta.

Informações gerais